Configurações em Execução

O comportamento dessas funções podem ser modificado pelas configurações do php.ini.

Opções de configuração de sessão
Nome Padrão Modificável Changelog
session.save_path "" PHP_INI_ALL  
session.name "PHPSESSID" PHP_INI_ALL  
session.save_handler "files" PHP_INI_ALL  
session.auto_start "0" PHP_INI_PERDIR  
session.gc_probability "1" PHP_INI_ALL  
session.gc_divisor "100" PHP_INI_ALL Disponível desde PHP 4.3.2.
session.gc_maxlifetime "1440" PHP_INI_ALL  
session.serialize_handler "php" PHP_INI_ALL  
session.cookie_lifetime "0" PHP_INI_ALL  
session.cookie_path "/" PHP_INI_ALL  
session.cookie_domain "" PHP_INI_ALL  
session.cookie_secure "" PHP_INI_ALL Disponível desde PHP 4.0.4.
session.cookie_httponly "" PHP_INI_ALL Disponível desde PHP 5.2.0.
session.use_strict_mode "0" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 5.5.2.
session.use_cookies "1" PHP_INI_ALL  
session.use_only_cookies "1" PHP_INI_ALL Disponível desde PHP 4.3.0.
session.referer_check "" PHP_INI_ALL  
session.cache_limiter "nocache" PHP_INI_ALL  
session.cache_expire "180" PHP_INI_ALL  
session.use_trans_sid "0" PHP_INI_ALL PHP_INI_ALL no PHP <= 4.2.3. PHP_INI_PERDIR no PHP < 5. Disponível desde PHP 4.0.3.
session.trans_sid_tags "a=href,area=href,frame=src,form=" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 7.1.0.
session.trans_sid_hosts $_SERVER['HTTP_HOST'] PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 7.1.0.
session.sid_length "32" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 7.1.0.
session.sid_bits_per_character "5" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 7.1.0.
session.upload_progress.enabled "1" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.upload_progress.cleanup "1" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.upload_progress.prefix "upload_progress_" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.upload_progress.name "PHP_SESSION_UPLOAD_PROGRESS" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.upload_progress.freq "1%" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.upload_progress.min_freq "1" PHP_INI_PERDIR Disponível desde o PHP 5.4.0.
session.lazy_write "1" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 7.0.0.
url_rewriter.tags "a=href,area=href,frame=src,form=" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 4.0.4. Desde PHP 7.1.0 essa opção não é mais utilizada pel mecanismo de sessão.
session.hash_function "0" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 5.0.0. Removido no PHP 7.1.0.
session.hash_bits_per_character "4" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 5.0.0. Removido no PHP 7.1.0.
session.entropy_file "" PHP_INI_ALL Removido no PHP 7.1.0.
session.entropy_length "0" PHP_INI_ALL Removido no PHP 7.1.0
session.bug_compat_42 "1" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 4.3.0. Removido no PHP 5.4.0.
session.bug_compat_warn "1" PHP_INI_ALL Disponível desde o PHP 4.3.0. Removido no PHP 5.4.0.
Para mais detalhes e definições dos modos PHP_INI_*, veja Onde uma configuração deve ser definida.

O sistema de gerenciamento de sessões suporta várias opções de configurações que podem ser colocados no arquivo php.ini. A seguir um breve resumo.

session.save_handler string
session.save_handler define o nome do manipulador que será utilizado para armazenar e recuperar dados associados à sessão. Padrão para files. Note que extensões podem registrar seus próprios save_handlers; manipuladores registrados podem ser obtidos ao se vefificar o phpinfo(). Veja também session_set_save_handler().
session.save_path string
session.save_path define o argumento que é passado para o manipulador de gravação. Se você escolher o manipulador padrão (de arquivos), este é o caminho onde os arquivos serão criados. Veja também session_save_path().

Há um argumento opcional N para esta diretiva que determina o número de níveis de diretório que seus arquivos de sessão serão espalhados. Por exemplo, definindo para '5;/tmp' pode levar a criação de um arquivo de sessão e diretórios como /tmp/4/b/1/e/3/sess_4b1e384ad74619bd212e236e52a5a174If . Para fazer uso do N você deve criar todos estes diretórios antes do uso. Um pequeno script shell existe em ext/session para fazer isto, chamado mod_files.sh, com uma versão para o Windows chamada mod_files.bat. Também note que se N é usado e maior do que 0 então a limpeza de sessões não será executada, veja uma cópia do php.ini para mais informações. Também, se você usar N, certifique-se de cercar session.save_path com "aspas" porque o separador (;) é usado também para comentátios no php.ini.

O módulo de armazenamento em arquivo cria arquivos com permissões 600 por padrão. Esse padrão pode ser alterado com o argumento opcional MODE: N;MODE;/path onde MODE é o valor octal representando as permissões. Configurar MODE não afeta o umask do processo.

Aviso

Se você deixar isto definido num diretório de leitura público, como /tmp (o padrão), outros usuários no servidor poderão raptar sessõoes pegando a lista de arquivos nesse diretório.

Cuidado

Ao utilizar o argumento opcional de nível de diretório N, como descrito acima, note que utilizar um valor maior que 1 ou 2 é inapropriado na maioria dos sites por conta da geração de um grande número de diretórios exigidos: por exemplo, um valor de 3 implica que existirão 64^3 diretórios em disco, o que pode resultar numa quantidade enorme de espaço e inodes desperdiçados.

Somente use N maiores que 2 se você estiver absolutamente certo que o seu site é grande o suficiente para exigí-lo.

Nota: Antes do PHP 4.3.6 os usuários de Windows tinham que mudar esta variável para usar as funções de sessão do PHP. Um caminho válido deve ser especificado, ex.: c:/temp.

session.name string
session.name especifica o nome da sessão que é usada como o nome do cookie. Deve conter apenas caracteres alfanuméricos. O padrão é PHPSESSID. Veja também session_name().
session.auto_start boolean
session.auto_start especifica se o módulo da sessão deve iniciar uma sessão automaticamente no início da requisição. Padrão 0 (desabilitado).
session.serialize_handler string
session.serialize_handler define o nome do manipulador utilizado para serializar/desserializar dados. São suportados o formato serial do PHP (php_serialize), o formato interno do PHP (php e php_binary) e WDDX (wddx). O WDDX somente está disponível se o PHP foi compilado com suporte WDDX. php_serialize está disponível desde o PHP 5.5.4. php_serialize utiliza as funções serialize/unserialize internamente e não tem as limitações que php e php_binary tem. Serializadores antigos não conseguem gravar índices numéricos ou índices string que contenham caracteres especiais (| e !) no array $_SESSION. Utilize php_serialize para evitar erros de índices numéricos ou índices com caracteres especiais no final do script. O padrão é php.
session.gc_probability integer
session.gc_probability em conjunto com session.gc_divisor é usado para gerenciar a probabilidade que o gc (coletor de lixo) seja iniciado. O padrão é 1. Veja session.gc_divisor para detalhes.
session.gc_divisor integer
session.gc_divisor em conjunto com session.gc_probability define a probabilidade que o processo do gc (coletor de lixo) seja iniciado na inicialização de cada sessão. A probabilidade é cauculada usando gc_probability/gc_divisor, ex. 1/100 indica que existe 1% de chance que o processo GC inicie em cada requisição. O padrão para session.gc_divisor é 100.
session.gc_maxlifetime integer
session.gc_maxlifetime especifica o número de segundos, que, depois de decorridos, os dados serão considerados como lixo ('garbage') e eventualmente apagados. Isso pode ocorrer no início da sessão (dependendo de session.gc_probability e session.gc_divisor).

Nota: Se scripts diferentes tem valores diferentes para session.gc_maxlifetime mas compartilham o mesmo lugar para guardar os dados da sessão então o script com o menor valor estará limpando os dados. Neste caso, use esta diretiva em conjunto com session.save_path.

session.referer_check string
session.referer_check contém a substring que você quer checar contra cada HTTP Referer. Se o Referer for enviado pelo cliente e a sustring não foi encontrada, a id de sessão embutida será marcada como inválida. O padrão é uma string vazia.
session.entropy_file string
session.entropy_file informa o caminho para um recurso externo (arquivo) que será usado como uma fonte de entropia no processo de criação da id de sessão. Exemplos são /dev/random ou /dev/urandom que estão disponíveis em muitos sistemas UNIX. Esse recurso é suportado no Windows a partir do PHP 5.3.3. Configurando session.entropy_length para um valor diferente de zero fará o PHP utilizar o Windows Random API como fonte de entropia.

Nota: Removido no PHP 7.1.0. A partir do PHP 5.4.0 session.entropy_file tem como padrão /dev/urandom ou /dev/arandom, se disponível. No PHP 5.3.0 essa diretiva está em branco por padrão.

session.entropy_length integer
session.entropy_length especifica o número de bytes que serão lidos do arquivo especificado acima. Padrão em 0 (desabilitado). Removido no PHP 7.1.0.
session.use_strict_mode boolean
session.use_strict_mode especifica se o módulo utilizará o modo id de sessão rigoroso (strict). Se esse modo estiver ativo, o módulo não aceitará um id de sessão não inicializado. Se um id de sessão não inicializado for enviado pelo browser, um novo id de sessão é devolvido para o browser. Aplicações são protegidas da fixação de sessão adotando o modo de sessão rigoroso (strict). Padrão é 0 (desativado).

Nota: Ativar session.use_strict_mode é mandatório para segurança geral das sessões. A todos os sites é recomendado mantê-lo ativado. Veja o código em session_create_id() para mais detalhes.

session.use_cookies boolean
session.use_cookies especifica se o módulo utilizará cookies para guardar a id da sessão no lado do cliente. O padrão é 1 (habilitado).
session.use_only_cookies boolean
session.use_only_cookies especifica se o módulo usará somente cookies para guardar a id no lado do cliente. Habilitar esta configuração previne ataques envolvendo passagem de ids de sessão nas URLs. Esta configuração foi adicionada no PHP 4.3.0. Padrão 1 (ativado) a partir do PHP 5.3.0.
session.cookie_lifetime integer
session.cookie_lifetime especifica o tempo de vida do cookie em segundos que é enviado para o browser. O valor 0 significa "até o browser ser fechado". O padrão é 0. Veja também session_get_cookie_params() e session_set_cookie_params().

Nota: O timestamp de expiração é informado em relação à hora do servidor, que não necessariamente coincide com o horário do navegador do cliente.

session.cookie_path string
session.cookie_path especifica o caminho para definir em session_cookie. O padrão é /. Veja também session_get_cookie_params() e session_set_cookie_params().
session.cookie_domain string
session.cookie_domain especifica o domínio para definir no cookie de sessão. O padrão é nenhum significando o nome do servidor que gerou o cookie de arcordo com a especificação dos cookies. Veja também session_get_cookie_params() e session_set_cookie_params().
session.cookie_secure boolean
session.cookie_secure especifica se os cookies devem ser enviados apenas em conexões seguras. O padrão é off. Esta configuração foi adicionada no PHP 4.0.4. Veja também session_get_cookie_params() e session_set_cookie_params().
session.cookie_httponly boolean
Marca o cookie para ser acessível apenas atráves do protocolo HTTP. Isto significa que o cookie não será acessível por linguagens de script, como o JavaScript. Esta configuração pode efetivamente reduzir o roubo de identidade atráves de ataques XSS (apesar de não ser suportado por todos os browsers).
session.cache_limiter string
session.cache_limiter especifica o método de controle de cache para usar em páginas de sessão. Pode ser um dos seguintes valores: nocache, private, private_no_expire ou public. Padrão nocache. Veja também a documentação de session_cache_limiter() para ver o que os valores significam.
session.cache_expire integer
session.cache_expire especifica o time-to-live (tempo de vida) para páginas de sessão em cache, em minutos, não tendo efeito na limitação de nocache. O padrão é 180. Veja também session_cache_expire().
session.use_trans_sid boolean
session.use_trans_sid se o suporte a sid transparente está habilitado ou não. O padrão é 0 (desabilitado).

Nota: Gerenciamento de sessões baseadas em URLs tem riscos de segurança adicionais comparados ao gerenciamento baseado em cookies. Usuários podem enviar uma URL que contenha uma ID de sessão ativa para seus amigos por e-mail ou usuários podem salvar uma URL que contenha uma ID de sessão em seus bookmarks e acessar seu site sempre com a mesma ID de sessão, por exemplo. Desde o PHP 7.1.0 uma URL completa, por exemplo https://php.net/, é manipulada pelo recurso trans sid. Versões anteriores do PHP manipulavam apenas URLs relativas. Alvos de rewrite estão definidos em session.trans_sid_hosts.

session.trans_sid_tags string
session.trans_sid_tags especifica quais tags HTML serão reescritas para incluir IDs de sessão quando o suporte ao SID transparente estiver ativo. Por padrão: a=href,area=href,frame=src,input=src,form= form é uma tag especial. <input hidden="session_id" name="session_name"> é adicionado a variável de formulário.

Nota: Antes do PHP 7.1.0 url_rewriter.tags era utilizada para essa funcionalidade. Desde o PHP 7.1.0, fieldset não é mais considerada uma tag especial.

session.trans_sid_hosts string
session.trans_sid_hosts especifica quais hosts serão reescritos para incluir IDs de sessão quando o suporte ao SID transparente estiver ativo. Padrão para $_SERVER['HTTP_HOST'] Vários hosts podem ser especificados, separados por ",", mas sem espaços entre os hosts. Por exemplo: php.net,wiki.php.net,bugs.php.net
session.bug_compat_42 boolean
Versões do PHP 4.2.3 ou inferior tem um funcionamento/bug não documentado que permite inicializar uma variável de sessão no escopo global, mesmo que register_globals esteja desabilitado. PHP 4.3.0 e mais novos avisarão se este recurso for usado e se session.bug_compat_warn também estiver habilitado. Este funcionamento/bug pode ser desabilitado ao desativar esta diretiva.

Nota: Removido no PHP 5.4.0.

session.bug_compat_warn boolean
Versões do PHP 4.2.3 e inferiores tem um funcionamento/bug não documentado que permite inicializar uma variável de sessão no escopo global, mesmo que register_globals esteja desabilitado. PHP 4.3.0 e mais novos avisarão se este recurso for usado ao habilitar ambos session.bug_compat_42 e session.bug_compat_warn.

Nota: Removido no PHP 5.4.0.

session.sid_length integer
session.sid_length permite especificar o tamanho do texto do ID de sessão. IDs de sessão podem ter tamanhos entre 22 a 256 letras. O padrão é 32. Para compatibilidade, você pode especificar 32, 40, etc. IDs de sessão maiores são mais difíceis de adivinhar. Ao menos 32 letras é o recomendados.

Nota de compatibilidade: Utilize 32 para que session.hash_func=0 (MD5) e session.hash_bits_per_character=4, session.hash_func=1 (SHA1) e session.hash_bits_per_character=6. Utilize 26 para que session.hash_func=0 (MD5) e session.hash_bits_per_character=5. Utilize 22 para que session.hash_func=0 (MD5) e session.hash_bits_per_character=6. Você precisa configurar os valores INI para ao menos 128 bits no ID de sessão. Não se esqueça de configurar o valor apropriado em session.sid_bits_per_character, de outra forma você terá um ID de sessão fraco.

Nota: Esta configuração foi introduzida no PHP 7.1.0.

session.sid_bits_per_character integer
session.sid_per_character permite especificar o número de bits codificados no ID de sessão. Os valores possíveis são '4' (0-9, a-f), '5' (0-9, a-v), and '6' (0-9, a-z, A-Z, "-", ","). O padrão é 4. Mais bits resultam em IDs de sessão mais fortes. 5 é recomendado para a maioria dos elementos.

Nota: Esta configuração foi introduzida no PHP 7.1.0.

session.hash_function mixed
session.hash_function permite especificar o algoritimo de hash usado para gerar os IDs de sessão. '0' indica MD5 (128 bits) e '1' indica SHA-1 (160 bits).

Desde o PHP 5.3.0 também é possível especificar qualquer um dos algoritmos disponibilizados pela extensão hash (se habilitada), como sha512 ou whirlpool. A lista completa de algoritmos suportados pode ser obtida com a função hash_algos().

Nota: Esta configuração introduzido no PHP 5. Removido no PHP 7.1.0.

session.hash_bits_per_character integer
session.hash_bits_per_character permite a você definir quantos bits são guardados em cada caractere ao converter os dados binários de hash para algo legível. Os valores possíveis são '4' (0-9, a-f), '5' (0-9, a-v) e '6' (0-9, a-z, A-Z, "-", ",").

Nota: Esta configuração introduzido no PHP 5. Removido no PHP 7.1.0.

session.upload_progress.enabled boolean
Permite o rastreamento do progresso de upload, populando a variável $_SESSION. O padrão é 1, habilitado.
session.upload_progress.cleanup boolean
Limpa a informação de progresso assim que todos os dados POST forem lidos (upload completado). Padrão 1, habilitado.

Nota: É altamente recomendável manter esse recurso ligado.

session.upload_progress.prefix string
Um prefixo utilizado na chave da variável $_SESSION. Essa chave será concatenada com o valor de $_POST[ini_get("session.upload_progress.name")] para prover um índice único. Padrão "upload_progress_".
session.upload_progress.name string
O nome da chave utilizada em $_SESSION para armazenar a informação de progresso. Veja também session.upload_progress.prefix. Se $_POST[ini_get("session.upload_progress.name")] não for passado ou estiver indisponível, o progresso de upload não será registrado. Padrão "PHP_SESSION_UPLOAD_PROGRESS".
session.upload_progress.freq mixed
Define a frequência com que a informação de progresso de upload será atualizada. Isso pode ser definido em bytes ("atualize a informação a cada 100 bytes") ou em percentagens ("atualize a informação de progresso a cada 1% do total do arquivo"). Padrão "1%".
session.upload_progress.min-freq integer
O intervalo mínimo entre as atualizações, em segundos. Padrão "1" (um segundo).
session.lazy_write boolean
session.lazy_write, quando configurado para 1, significa que os dados de sessão somente serão reescrito caso eles mudem. O padrão é 1, habilitado.

A configuração register_globals influencia em como as variáveis de sessão são guardadas e restauradas.

O progresso de upload não será registrado, a não ser que session.upload_progress.enabled esteja habilitado e a variável $_POST[ini_get("session.upload_progress.name")] esteja definida. Veja Progresso de Upload em sessões para mais detalhes dessa funcionalidade.

add a note add a note

User Contributed Notes 13 notes

up
34
Christopher Kramer
1 year ago
On debian (based) systems, changing session.gc_maxlifetime at runtime has no real effect. Debian disables PHP's own garbage collector by setting session.gc_probability=0. Instead it has a cronjob running every 30 minutes (see /etc/cron.d/php5) that cleans up old sessions. This cronjob basically looks into your php.ini and uses the value of session.gc_maxlifetime there to decide which sessions to clean (see /usr/lib/php5/maxlifetime).

You can adjust the global value in your php.ini (usually /etc/php5/apache2/php.ini). Or you can change the session.save_path so debian's cronjob will not clean up your sessions anymore. Then you need to either do your own garbage collection with your own cronjob or enable PHP's garbage collection (php then needs sufficient privileges on the save_path).

Why does Debian not use PHP's garbarage collection?
For security reasons, they store session data in a place (/var/lib/php5) with very stringent permissions. With the sticky bit set, only root is allowed to rename or delete files there, so PHP itself cannot clean up old session data. See https://bugs.debian.org/cgi-bin/bugreport.cgi?bug=267720 .
up
10
info at thimbleopensource dot com
1 year ago
I found out that if you need to set custom session settings, you only need to do it once when session starts. Then session maintains its settings, even if you use ini_set and change them, original session still will use it's original setting until it expires.

Just thought it might be useful to someone.
up
4
GreenReaper
1 year ago
We found a session.save_path depth of 3 led to excessive wastage of inodes and in fact disk space in storing the directory tree. dir_indexes option on ext2/3/4 makes larger directories more feasible anyway, so we decided to move to a depth of 2 instead.

It took a little puzzling to figure out how to move the existing PHP sessions up one directory tree, but we ended up running this in the root sessions directory:

#!/bin/sh
for a in ./* ; do
    cd ./$a
    pwd
    for b in ./* ; do
      cd ./$b
      pwd
      # Move existing sessions out
      find ./* -xdev -type f -print0 | xargs -0 mv -t .
      # Remove subdirectories
      find ./* -xdev -type d -print0 | xargs -0 rmdir
      cd ..
  done
  cd ..
done

This script may not be the best way to do it, but it got the job done fast. You can modify it for different depths by adding or removing "for" loops.

The documentation gives a depth of 5 as an example, but five is right out. If you're going beyond 2, you're at the scale where you may want to to look at a large memcached or redis instance instead.
up
3
00 at f00n dot com
8 years ago
After having many problems with garbage collection not clearing my sessions I have resolved it through the following.

First I found this in the php.ini (not something i noticed as i use phpinfo(); to see my hosting ini).

; NOTE: If you are using the subdirectory option for storing session files
;       (see session.save_path above), then garbage collection does *not*
;       happen automatically.  You will need to do your own garbage

; collection through a shell script, cron entry, or some other method. ;       For example, the following script would is the equivalent of
;       setting session.gc_maxlifetime to 1440 (1440 seconds = 24 minutes):
;          cd /path/to/sessions; find -cmin +24 | xargs rm

With this is mind there are options.

1. dont use a custom save_path.
** This means if your isp hasnt defaulted your session temp to something safer than install default or you are using a shared directory for session data then you would be wise to use named sessions to keep your session from being viewable in other people's scripts.  Creating a unique_id name for this is the common method. **

2. use your custom folder but write a garbage collection script.

3. use a custom handler and a database
up
3
AskApache
5 years ago
This is how I set my session.save_path
session.save_path = "1;/home/askapache/tmp/s"
So to create the folder structure you can use this compatible shell script, if you want to create with 777 permissions change the umask to 0000;
sh -o braceexpand -c "umask 0077;mkdir -p s/{0..9}/{a..z} s/{a..z}/{0..9}"

Then you can create a cronjob to clean the session folder by adding this to your crontab which deletes any session files older than an hour:
@daily find /home/askapache/tmp/s -type f -mmin +60 -exec rm -f {} \; &>/dev/null

That will create sessions in folder like:
/home/askapache/tmp/s/b/sess_b1aba5q6io4lv01bpc6t52h0ift227j6

I don't think any non-mega site will need to go more than 1 levels deep.  Otherwise you create so many directories that it slows the performance gained by this.
up
3
Nicholas
6 years ago
Transient sessions do not appear to be working in 5.3.3

E.g.

<?php
    ini_set
("session.use_cookies", 0);
   
ini_set("session.use_trans_sid", 1);
   
session_start();
   
    if (isset(
$_SESSION["foo"])) {
        echo
"Foo: " . $_SESSION["foo"];
    } else {
       
$_SESSION["foo"] = "Bar";
        echo
"<a href=?" . session_name() . "=" . session_id() . ">Begin test</a>";
    }
?>

This works in 5.2.5, but not 5.3.3
up
4
hassankhodadadeh at NOSPAM dot gmail dot com
4 years ago
max value for "session.gc_maxlifetime" is 65535. values bigger than this may cause  php session stops working.
up
2
jlevene at etisoftware dot com
3 years ago
Being unable to find an actual copy of mod_files.sh, and seeing lots of complaints/bug fix requests for it, here's one that works.  It gets all its parameters from PHP.INI, so you don't have the opportunity to mess up:

#!/bin/bash
#
# Creates directories for PHP session storage.
# Replaces the one that "comes with" PHP, which (a) doesn't always come with it
# and (b) doesn't work so great.
#
# This version takes no parameters, and uses the values in PHP.INI (if it
# can find it).
#
# Works in OS-X and CentOS (and probably all other) Linux.
#
# Feb '13 by Jeff Levene.

[[ $# -gt 0 ]] && echo "$0 requires NO command-line parameters.
It gets does whatever is called for in the PHP.INI file (if it can find it).
" && exit 1

# Find the PHP.INI file, if possible:
phpIni=/usr/local/lib/php.ini                        # Default PHP.INI location
[[ ! -f "$phpIni" ]] && phpIni=/etc/php.ini            # Secondary location
[[ ! -f "$phpIni" ]] && phpIni=                        # Found it?

# Outputs the given (as $1) parameter from the PHP.INI file:
# The "empty" brackets have a SPACE and a TAB in them.
#
PhpConfigParam() {
    [[ ! "$phpIni" ]] && return
    # Get the line from the INI file:
    varLine=`grep "^[     ]*$1[     ]*=" "$phpIni"`

    # Extract the value:
    value=`expr "$varLine" : ".*$1[     ]*=[     ]*['\"]*\([^'\"]*\)"`
    echo "$value"
    }

if [[ "$phpIni" ]]
then
    savePath=`PhpConfigParam session.save_path`
    # If there's a number and semicolon at the front, remove them:
    dirDepth=`expr "$savePath" : '\([0-9]*\)'`
    [[ "$dirDepth" ]] && savePath=`expr "$savePath" : '[0-9]*;\(.*\)'` || dirDepth=0
    bits=`PhpConfigParam session.hash_bits_per_character`
    case "x$bits" in
        x)    echo "hash_bits_per_character not defined.  Not running." ; exit 2 ;;
        x4) alphabet='0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 a b c d e f' ;;
        x5) alphabet='0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v' ;;
        x6) alphabet='0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v'
            alphabet="$alphabet w x y z A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W"
            alphabet="$alphabet X Y Z - ,"
            ;;
        *)    echo "unrecognized hash_bits_per_character.  Not running." ; exit 2 ;;
    esac
else
    echo "Cannot find the PHP.INI file.  Not running.  Sorry."
    exit 2
fi

# The depth of directories to create is $1.  0 means just create the named
# directory.  Directory to start with is $2.
#
# Used recursively, so variables must be "local".

doDir() {
    local dir="$2"
    if [[ -d "$dir" ]]
    then
        echo "Directory '$dir' already exists.  No problem."
    elif [[ -f "$dir" ]]
    then
        echo "FILE '$dir' exists.  Aborting." ; exit 2
    else
        if mkdir "$dir"
        then
            echo "Directory '$dir' created."
        else
            echo "Cannot create directory '$dir'.  Aborting." ; exit 2
        fi
    fi
    chmod a+rwx "$dir"
    if [[ $1 -gt 0 ]]
    then
        local depth=$(( $1 - 1 ))
        for letter in $alphabet
        do    doDir $depth "$dir/$letter"
        done
    fi
    }
   
   
echo "Running with savePath='$savePath', dirDepth=$dirDepth, and bitsPerCharacter=$bits."
sleep 3

doDir $dirDepth "$savePath"

exit 0
up
1
mikaelkael at php dot net
7 years ago
Recently, I needed to change the session save_path in my program under Windows. With an ini_set('session.save_path', '../data/sessions'); (and session.gc_divisor = 1 for test), I always obtain 'Error #8 session_start(): ps_files_cleanup_dir: opendir(../data/sessions) failed: Result too large'.

I corrected this by changing with ini_set('session.save_path', realpath('../data/sessions'));
up
-2
Wouter
6 years ago
When setting the session.cookie_lifetime directive in a .htaccess use string format like;

php_value session.cookie_lifetime "123456"

and not

php_value session.cookie_lifetime 123456

Using a integer as stated above dit not work in my case (Apache/2.2.11 (Ubuntu) PHP/5.2.6-3ubuntu4.5 with Suhosin-Patch mod_ssl/2.2.11 OpenSSL/0.9.8g)
up
-4
orbill
6 years ago
apparently the default value for session.use_only_cookies has changed in 5.3.3 from 0 to 1. If you haven't set this in your php.ini or your code to 0 transparent sessions won't work.
up
-11
phpforcharity dot 5 dot pistos at geoshell dot com
8 years ago
To get session IDs to show up in URIs, and not get stored via cookies, you must not only set session.use_cookies to 0, but also set session.use_trans_sid to 1.  Otherwise, the session ID goes neither in a cookie nor in URIs!
up
-6
sony-santos at bol dot com dot br
7 years ago
In response to 00 at f00n, this very page explains:

"(...) if N is used and greater than 0 then automatic garbage collection will not be performed (...)"

So you can actually use custom save_path with automatic garbage collection, since you don't use the subdirectory option (that N subdirectory levels).
To Top